Comida Crua e Crudivorismo

Foto: Bruna Antunes

Raw food, comida viva e crudivorismo. Todos sinônimos de um estilo de vida alimentar que consiste no consumo de alimentos naturais, sem nenhum tipo de aquecimento, ou seja, crus em sua maioria. O movimento surgiu há pouco mais de 20 anos nos Estados Unidos, sobre o pretexto de que os alimentos mais saudáveis para o corpo deveriam ser consumidos em sua forma orgânica, sem modificações drásticas de temperatura (o limite de aquecimento seria de até 43ºC). De fato, ao comermos alimentos cozidos em excesso, nossos corpos são obrigados a trabalhar mais e a absorção de nutrientes torna-se mais complexa, com grande perda das enzimas que vem dos alimentos.

O consumo de crus significa o consumo de enzimas vivas, com significativo valor nutricional. Algumas vitaminas podem, inclusive, ser completamente destruídas quando aquecidas! A vitamina C, por exemplo, é abundante ao se comer uma laranja fresca, mas é destruída quando o suco dessa laranja é colocado em algum preparo aquecido. Sabemos, porém, que essa dieta tem gerado debates por aí, então separamos as principais vantagens e desvantagens para você entender melhor, olha aí:

 

Principais vantagens:

– Grande absorção de fibras e de probióticos, que garantem a saúde do intestino, melhorando a imunidade e a absorção de vitaminas, podendo, inclusive, reverter problemas como a diabetes;

– Eliminação de toxinas, podendo aliviar dores de cabeça e alergias e melhorar doenças crônicas como artrite e gota;

– Comer pratos cheios de cores e usar a criatividade na cozinha.

 

Principais desvantagens:

– Sem cuidado e equilíbrio, há possibilidade de perda de proteínas e de cálcio, essenciais para todo o sistema orgânico;

– Dificuldade um pouco maior de encontrar alimentos adequados à dieta equilibrada e ainda com bons preços;

– A saudade sem culpa de um pãozinho e dos farináceos em geral, que dão grande saciedade de forma imediata.

 

Importante dizer que nem todos os crudívoros são veganos, pois, sob algumas perspectivas, poderiam ser consumidas carnes cruas ou não processadas; além disso, existem preparos para consumo de ovos e queijos crus, que poderiam entrar nessa dieta. Ainda assim, a forma mais comum do crudivorismo é aquela aliada ao vegetarianismo estrito, o que significa o consumo em alta quantidade de vegetais, leguminosas e grão germinados. Como dito, alimentos processados a até 43ºC podem ser consumidos nessa dieta, portanto, alguns óleos prensados a frio e alimentos curtidos também podem ser considerados.

 

A comida crua, assim, vai muito além da salada de alface! O Beringela separou algumas dicas de refeições crudívoras se você quiser se aventurar 🙂 Depois nos conte como foi, ok?

 

Moranga ralada com maionese de abacate

Postamos a receita aqui, confira!

Lentilha germinada com ricota de castanhas

Sopa fria de feijão verde germinado com leite de amêndoas, coentro e tomate

Spaghetti de abobrinha e/ou cenoura com pesto de manjericão

Ajo blanco/Gaspacho blanc (sopa fria de amêndoas e alho)

Barquetes de alface com nozes, tomates, cenoura e abobrinha com hortelã

Kimchi coreano

Sorvete de banana crudívoro

Sorvete de manga e leite de coco fresco crudívoro

 

Fotografia: Bruna Antunes

comments